top of page

Estudo comenta sobre como reduzir uso de UTI após craniotomia

Pesquisadores da Califórnia (EUA) realizaram um estudo para avaliar se ao realizarem o protocolo NICE haveria uma diminuição no tempo de permanência pós-operatória em UTI.


Para tal empreitada foram investigados um instituição onde antes de 2018 não utilizava tal protocolo e posteriormente começou a fazer uso. Os resultados obtidos foram:


Quatro mil oitocentas e trinta e sete craniotomias foram realizadas de maio de 2014 a dezembro de 2021 (2302 pré-protocolo e 2535 pós-protocolo). Vinte e um por cento das craniotomias pós-protocolo foram incluídas no protocolo NICE. Após a implantação do protocolo, o LOS pós-operatório geral diminuiu de 4,0 para 3,5 dias (P = 0,0031), que foi impulsionado pelo LOS pós-operatório falecido entre os pacientes do protocolo (média de 2,4 dias). A utilização da UTI diminuiu de 57% dos pacientes para 42% (P < 0,0001), gerando uma economia de aproximadamente $ 760 000. Retorno à UTI e diminuição das complicações após implantação do protocolo. 5,8% dos pacientes do protocolo reinternaram em 30 dias; nenhum poderia ter sido evitado por meio da internação na UTI. (COLÓN et. al., 2023)

Leia artigo completo abaixo.

Fonte: Neurosurgery - acesse PDF aqui


Referência bibliográfica: COLÓN, Gabriela Ruiz et. al. A Protocol for Reducing Intensive Care Utilization After Craniotomy: A 3-Year Assessment. Neurosurgery: 92(5):p 1080-1090, May 2023.


DOI: 10.1227/neu.0000000000002337

Comments


bottom of page